Resenha #29: Condão

E aí meus baixinhos queridos! Tudo bem com vocês? Comigo tudo ótimo.
Como vocês viram no inicio dessa semana teve a resenha de A Guardiã feita pela Vanessa primeira colaboradora do blog! O que estão achando da escrita dela e claro estão gostando de um toque feminino aqui no blog? Mas hoje não vim falar sobre isso, trago para vocês mais uma resenha e espero que gostem. Vamos a ela?

Condão
Livro recebido de parceria com o autor.
Autor: Giordano Mochel Netto
Págs: 400
Gênero: Ficção
Formato: 14 X 21
Editora: Novo Século | Selo: Talentos da Literatura Brasileira
Lançamento: 2015
Sinopse: Tecnologia robótica, petabytes, Direito Eletrônico. Esses termos fazem parte do cotidiano de Edwardo, um jovem que vive em uma sociedade ultratecnológica em que o controle da informação tornou-se o meio de referência para todos. Programador virtual, ele tem uma vida estabilizada, já que suas preocupações resumem-se ao trabalho, ao relacionamento amoroso com Sílvia, biogeneticista, e à amizade antiga e franca com Jânio, professor de História Moderna e especialista na teoria do Condão.
No entanto, ao presenciar, involuntariamente, o assassinato de dois jovens por drones responsáveis pela segurança pública, sua vida passa a correr risco. Robôs-homicidas? Uma possibilidade que soa impossível para um software instruído a tarefas-padrão e funções extremamente mecânicas.
Pelas regiões do Brasil, Edwardo arrasta Jânio e Sílvia em uma busca incessante para desvendar o crime. Só que, quando o trio descobre que essa investigação envolve vários fatos obscuros que influenciaram o atual nível de desenvolvimento dessa sociedade, uma nova realidade se revela de forma estarrecedora.

Primeiramente peço desculpas pela demora em trazer essa resenha para vocês, pois esse livro me consumiu por completo e fez com que a leitura demorasse a ser concluída, mas isso não vem ao caso agora! Vamos a resenha?


Narrada em terceira pessoa do singular, somos apresentados a Ed ou Edwardo que vive em nosso país em um futuro muito próximo onde a tecnologia tem total domínio da humanidade. Em certo dia Ed estava descansando no terraço de seu prédio apreciando o tempo, até que acabou presenciando um assassinato de um homem por uma máquina.

"O bem comum é mais importante do que a individualidade, mas caso a individualidade vise ao bem comum, então está individualidade sobrepõe o bem comum"

Instigado por aquele acontecimento e em busca de respostas, ele e seu amigo Jânio resolvem invadir o banco de dados do governo, mas tudo teria que ser feito as pressas para não serem descobertos. Ao concluírem o acesso, acabaram por ser descobertos e com isso começam uma fuga para não serem pegos, mas antes de prosseguirem com a fuga, passam na casa da namorada de Ed e a levam junto.

Ao prosseguirem com a fuga, acabam se juntando com um grupo de rebeldes que lhes conta tudo desde o início de tudo aquilo que está acontecendo com o Condão, que é nada mais que uma empresa de drones para ajudar a humanidade.

"As injúrias devem ser feitas todas de uma só vez, a fim de que, saboreando-as menos, ofendam menos; e os benefícios devem ser feitos pouco a pouco, a fim de que sejam mais bem saboreados."

Esses drones acabaram substituindo tudo, inclusive na decisão da alimentação das pessoas, com o decorrer do tempo a população acabou decaindo cada vez mais, pois um vírus dizimou o código genético das pessoas, fazendo com que as famílias tenham apenas um filho por toda sua vida.

Ao serem descobertos Jânio, Ed e sua namorada voltaram a fugir se reunindo assim com outro grupo que tem partes de explicações que eles tanto procuravam.






Agora vamos falar do livro em geral... A narrativa do autor é muito boa, mas bem lenta. Confesso para vocês que a leitura foi bem arrastada "por isso dei três estrelas 'olha que eu ia dar quatro' mas a leitura me fez chegar nesta nota", tive várias vezes a sensação que o autor apenas jogou as palavras ali, mas tudo tem uma explicação no final e vocês compreenderam os motivos da narrativa ser assim.

A escrita do autor é demais, nunca tinha visto tantos detalhes em um só livro, também é uma raridade ver os significados das palavras na parte inferior das páginas, isso tudo fez com que não fiquem pontas soltas em nossa leitura.

Os capítulos são meio longos, já as letras são pequenas "cálculo que devem ser mais ou menos uns nove pixels", as divisões de cena são feita por um desenho de retângulo e o início "do capítulo" é mostrado por uma escrita bem bonita.


A capa e a revisão foram bem feitas, me deixaram de boca aberta "parabéns Novo Século"... Quando conheci o trabalho do autor, fique fissurado pelo enredo, me falaram que o autor mandava uns mimos junto, mas infelizmente não tive a sorte de receber "Giordano se você estiver lendo isso e quiser me enviar os mimos, ficarei muito feliz".

Em um conceito total o livro é muito bom e recomendo para todos aqueles que gostam desse tipo de leitura, vocês se surpreenderam cada vez mais com cada palavra e tentaram descobrir o que irá acontecer "foi assim comigo"... Agora vou ficar me mordendo para saber a continuação e sim é uma distopia.



Então é isso pessoal! Espero que tenham gostado dessa resenha, comentem aí em baixo o que acharam dela e se for a sua primeira vez aqui no blog, lhe convido a seguir, se inscrever no canal, curtir a página do blog lá no Facebook, me seguir no Twitter, também no Pinterest e me adicionar no Skoob.

No mais é isso! Muito obrigado pela sua atenção e até a próxima. Tchaau.
Comentários
20 Comentários

20 comentários:

  1. Oi, Marcio! Gostei do post e achei o livro interessante. Pena que quando as letras são pequenas eu me desanimo. Não conhecia seu espaço (não que eu me lembre), mas te convido a conhecer o meu e a ler o primeiro capítulo do meu conto. Beijos e sucesso!

    Carolina Gama

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Carolina! Que bom e é mesmo, mas a leitura é bem agradável.
      Seja bem vinda.

      Excluir
  2. Oi Marcio, gostei da sua resenha sim e adorei as fotos também, deu mais dinamismo na postagem. Não conhecia o livro, mas até que achei a premissa interessante, apesar de achar que não faz muito o meu estilo.
    beijos, Fer ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Fer! Fico feliz que tenha gostado... Você irá gostar. Bjs

      Excluir
  3. Hey, Márcio!

    Ai, que preguiça desse livro! ahahaha
    Não gosto de ficção científica, menos ainda quando a narrativa é lenta como você disse.
    Digo ficção científica porque, para ser distopia, o principal é que, neste gênero, a história se passe no futuro, sim, mas num cenário pós-apocalíptico onde a sociedade precisa se reerguer e faz isso sob uma nova forma de governo.
    Como você não mencionou isso na resenha, acredito que não é esse o caso desse livro. :)

    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Sandra! É ficção cientifica sim... O meu objetivo nas resenhas é passar um pouco da história e falar o que achei, as pessoas decidem se gostam ou não desse tipo de livro. Bjs

      Excluir
  4. Eu achei o universo do livro interessante, mas o enredo em si não me atraiu muito enquanto leitura. Eu arriscaria a leitura pela proposta do autor, mas eu não acho que os elementos iriam me prender.

    http://laoliphant.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Oie
    acho que já conhecia o livro e parece ser mega interessantes mesmo para amantes do gênero, que bom que curtiu tanto, bela resenha e dica

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Catharina! Que bom que gostou e obrigado. Bjs

      Excluir
  6. Oi, Márcio!
    Eu gosto muito de ficção científica e distopias, então ter um livro que junte os dois parece ser bacana! Mas n sei bem o que pensar de uma narrativa que se arrasta, especialmente se tratando de um tema que demanda ação...Fiquei na dúvida se leio ou não.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Nuccia! Pra mim foi uma narrativa arrastada, depende para você seja diferente.
      Mas a história é muito boa, você irá gostar.

      Excluir
  7. oi ^^
    adoro distopias, mas fico fugindo de histórias com narrativa lenta, sem contar que não me senti empolgada para ler o livro. por isso passo a leitura.
    acho que só fiquei interessada na capa mesmo. Seguindo o Coelho Branco

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi! Sei como deve se sentir, pois fico triste quando a narrativa é lenta.
      Me desanima e muito.

      Excluir
  8. Bem interessante a premissa um pouco de distopias e ficção científica, o autor deveria deixar a história um pouco mais dinâmica para que não se torne cansativa e arrastada, mas no geral uma trama bem pensada. Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Danielle! Concordo plenamente com você. Bjs

      Excluir
  9. Oi Marco, tudo bem?
    Você conhece o livro EXR? Esse livro parece ter uma premissa bem parecida com ele. Ambos parecem interessantes e são leituras que eu com certeza faria.
    P.S.: Adorei as fotos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Italo! Tudo bem e com vocês? Nunca escutei falar e que legal.
      Muito obrigado.

      Excluir
  10. Oi! Me pareceu meio Matrix esse livro! Me deu até saudade dos filmes agora!
    Eu não gosto de livros muito detalhados e o fato de ser uma leitura arrastada também me desencorajou de ler o livro!
    Quem sabe futuramente?!
    Bj

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Camila! Se bem me lembro, já vi algumas partes desse filme e será mesmo.
      Quem sabe mesmo. Bjs

      Excluir